Enquanto no balcão

Me sinto um adolecente trancafiado
Dentro de meus aposentos, com
Meus livros e pensamentos
Ostentando minha camiseta do
Deep Purple
Com pensamemtos suicidas

Dramaticamente este sou Eu
Canceriano ascedente capricórnio
Me fazenro de vitima e meu papel principal
Um roqueiro em estinção

E eu admiro estes cabeludos rebeldes
O ser humano mais inteligente na face
Da terra, quem não gosta de um barulho?
Nem que seja aquele do qual pouco sentimos a sonoridade


Anderson B.

O homem que nunca vi chorar

Eu gostava de dormi na cama
Com meu pai, mas nem sempre
Eu conseguiria ficar-la com ele,
Pessoa forte,
De grosseria dificil

Não acho que poderia me ensinar muita coisa
Eu preferia observa-lo do que escutar
Sempre suas palavras finais eram muito dura, coração frágil muito fácil para se frustrar

Se eu pudesse dormiria com ele hoje
Ao seu lado, e observados seus velhos traços,
Hoje eu descobri que ele está com 72 anos,
Um velho guerreiro, negro, baixo, porém forte

Apenas 1% de sua inteligência
seria o suficiente para me dá bem
Na vida, apenas 1% da sua força, seria
Capaz de me poupar muitas lágrimas
Meu velho pai. . .

Anderson B.

Amor proibido

Transamos no nosso quarto antigo de quando morávamos com nossos pais, o pessoal lá no quintal na festa e a gente trasando, sentindo tesão.

Ele me olhou eu olhei pra ele, daí ele entrou no quarto eu entrei a trás, quando se vimos já fomos se beijando sem pensar nas consequências.

Queria a opinião de vocês, o que acha de um amor patronico, aquele que não esquecemos, mas amor de irmão.

Não me julgue por favor, só me ajude a entender!

Só se vive uma vez

Este seu corpo que inveja meus olhos
Não e aceito pela sociedade
Quem foi que te vendeu?
Não quer te compra mais

Veja, não são o que eles pensam
E sim o que de fato você é. . .
E sobre ser humana e leal contigo,
Quebre seus espelhos se for possível.

Arranque todas as trancas de sua casa,
Certifique de que você és livre
Pois não há prisão tão ruim
Quanto aquela que nós mesmo nós prendemos

Não vive em dor. . .
Exala e Esbanja aquele seu
Sorriso de satisfação, não se aceita
Por pouco, só vivemos apenas uma única vez. . . Então Viva

Anderson B.

A carne mais barata

Eu sei bem o que e viver cercado num entanto só

Eu vi está frase numa camiseta do
Querido poeta Ferraz
E num entanto ela hoje faz tanto
Sentido. . .

Sabe num mundo aonde as pessoas
Te compram, te usam, enfim lucrativo
Ou até mesmo num forma de se
Promover

Somos um mercado muito barato
A carne mais encontra para
O serviço mais preciso é a mais
Desvalorizada

Se senti cercado de pessoas e num
Entanto todas as noite se sentir
Sozinho e o que muitos hoje em
Dia se vê, se encontra dentro
Desta verdade

Eu vi está frase numa camiseta
E fiz dela verdade absoluta

Anderson B.

As lembranças só chegam em noites vazias.

Sou andarilho que vive sem
Destino algum
Com sonhos dos quais já venci
Meus passos são aleatórios

Me escondo feito criança debaixo
Da cama, na esperança de encontrar
O bicho papão que possa
Desta realidade me tirar

Na varanda de casa me vem
As lembrança. . .
São tão vazia quantos minhas
Noite naquela sala escura e fria

Quando vc se foi
Não Me disse que deixaria a
Tristeza para mim tomar conta
Eu trocaria todos os meus erros
Em troca de seu sorriso numa manhã
De domingo de sol

Eu ainda passo naquela praça
Sou capaz de ver seus
Braços acenando para mim
É dentro de seus abraços eu me
Esondendo da impureza deste mundo.

Anderson B.

Meus desejos, meus pecados

Realize meus desejo mais sacarstico
Quero ser o artista
Pinta seus traços entre nudez
De seus lábios

Se entrega a minha ousadia
Quero te tocar com a alma
Da inspiração
Quero te entrega meus versos em
Forma de canção

Deixa seus seios nu. . .
Meus olhos quer deslizar entre
Curvas deste seus mamilos,
Sem ao menos poder lhe tocar

Quero ver seus olhos me olhar
Numa imagem ipnotizante
Este seus olhos de medo,
Medo de me amar por instante.

Deixe seus seios nu. . .
Numa amnésia constante esqueça
Quem eu sou.

Anderson B.

@direitos reservados

15° Andar

Eu tentei olhar o mundo lá fora,
E atraves de espelho jogados ao
Chão eu consegui me cortar e percebi,
Que enquanto o sangue jorava eu sentia Dor.

Eu tentei a muito custo me joga
Do 15° andar e descobri que o medo
Que a altura me propocionava, não era
Suficiente tamanha coragem.

Algumas folhas ficaram secas o
Inverno não teve piedade de nenhuma Rosa
Que havia em meu quintal,
Eu me sentia emotivo, mas era apenas o
Frio.

Procurei razões suficiente para não
Mais olha la fora, algumas motivos obvio,
Outros eram futil ao ponto de me
Sentir preso dentro de mim mesmo.

Anderson B.
@direito reservados

*Quem é você?
Porque você não vem com a gente e juntos tentamos descobri.

Encaixotando

Te darei todo prazer do mundo
As vontades de viver
Seram todas dadas a você,
Mas o amor guardarei. . .

Bismado e olhos fulminante,
A acreditar que estou a enganar.
Ele disse com Rosas a me dar,
O amor era meu não e justo guarda!

Seu semblante caiu junto suas lagirmas
Secaram. . .
Seu sorriso deixou saudades
Nos retratos que busquei.

Mas o amor eu guardei. . .
O amor eu não lhe dei.
Cansado de procurar o amor eu poupei
A dor e guardei,
Sim guardei o amor!

Anderson B.

Versos que neguei

De todas as minhas perdas
Poucas delas eu me arrependo
O que me doi mais
Foi ter perdido o seu sorriso

Suas sarcastidade
De se alegra a me ver
Porque escondia este amor
Na certeza de ninguém poder
Saber?

Obtive a resposta
Da qual me fez crer
Era medo
Medo de meus braços se envolver
Com seu ser

Anderson B.